Teste De Condução Da Nova Bagagem Inteligente Da Bluesmart

A grande novidade em malas é o surgimento da bagagem “inteligente”: malas cheias que podem carregar os telefones, pesar-se, mandar sinais de retorno quando perdidos e, sim, carregar coisas. Até agora, o modelo de destaque é o Bluesmart ($ 399), criado por um grupo de empresários famintos por viagens. Sua bolsa funciona em todas as frentes - e parece lisa também.

Não. 1: Case Closed

O Bluesmart tem uma capa de policarbonato rígido, uma alça retrátil e quatro rodas resistentes. É somente para transporte - a bateria significa que não pode ser verificada. E apesar de toda a engenhoca, pesa pouco mais de nove quilos.

Não. 2: espaço interno

A eletrônica ocupa menos de 10 por cento do compartimento principal, deixando bastante espaço para o seu equipamento. A capa externa pode conter um laptop tão grande quanto 15 polegadas e tem um bolso extra para um celular ou tablet.

Não. 3: Estação de pesagem

O identificador funciona como uma balança digital: abra o aplicativo e levante a sacola para obter uma leitura.

Não. 4: Bloqueio Linked-Up

Os compartimentos principais podem ser protegidos com uma chave ou via smartphone se você estiver por perto; uma luz na bolsa permite que você saiba que a trava (compatível com TSA) está ativada.

Não. 5: Fonte de Alimentação

A bateria de alta capacidade, que é conectada a uma tomada padrão, pode abastecer um iPhone seis vezes com uma única carga.

Não. 6: Sistema de Rastreamento

Dentro do alcance do Bluetooth (cerca de 100 pés em um aeroporto), você pode usar o aplicativo para identificar a localização da sua bolsa. Se o seu material desaparece mais longe, um cartão SIM onboard pode enviar suas coordenadas GPS para o seu telefone.

Não. 7: fio sobressalente

Existem duas portas de carregamento USB, uma na capa do laptop e outra na parte de trás da mala.