Dicas Para Os Viajantes Transgêneros - Do Destino Mais Amigável Do País

Enquanto a Carolina do Norte e o Mississippi avançam com a legislação anti-transgênero, uma cidade da Flórida assumiu orgulhosamente o título de destino mais amigável para transgêneros do país. No ano passado, depois de ter encomendado o maior estudo sobre a população trans do país, Fort Lauderdale tornou-se o único destino no mundo a receber ativamente viajantes transexuais.

Uma campanha nacional de mídia, “Onde as coisas felizes dão sorte”, enfatiza a inclusão da comunidade transgênero na cidade, e uma landing page dedicada lista recursos locais importantes, como grupos regionais de advocacy, locais de banheiros neutros de gênero e ajuda médica. Em um grande golpe, Fort Lauderdale também convenceu a maior conferência transgênero do país, a Southern Comfort, a se mudar depois dos anos 24 em Atlanta.

"Este não foi um esforço de uma só vez", diz Richard Gray, diretor-gerente do mercado LGBT para o Fort Lauderdale Convention & Visitors Bureau. "Estamos nisso a longo prazo e queremos liderar o caminho." Para fazê-lo, Gray e sua equipe analisaram os resultados de seu estudo, em que quase 50 por cento dos entrevistados expressaram medo de violência física ou abuso verbal enquanto de férias.

T + L conversou com Alexis Dee, presidente do conselho de diretores da Southern Comfort Conference, sobre como os viajantes transgêneros podem navegar nesses medos e ainda viajar. Aqui está o conselho dela:

Conheça os seus direitos

Passar pela segurança do aeroporto pode ser assustador para viajantes transexuais, mas desde que o nome na reserva de reserva corresponda ao nome no documento de identificação com foto, eles devem estar bem, independentemente de a aparência do viajante corresponder ao que o documento diz. A TSA legalmente não pode pedir a ninguém para remover próteses e tem políticas rigorosas para proteger os direitos dos viajantes trans.

Fique com uma marca de apoio

O check-in em hotéis também envolve a apresentação de um documento com foto. Ficar com grandes marcas que possuem políticas de suporte ajuda a eliminar o risco de confusão da equipe da recepção. Dee e Gray destacam o Marriott como uma empresa particularmente amigável; seu marketing fez questão de incluir pessoas transgêneras. (Veja aqui outras marcas amigas LGBT que a T + L adora.)

Tem uma carta médica

Como último recurso em circunstâncias em que os viajantes precisam mostrar um documento de identidade, Dee recomenda que uma carta do médico explique que eles são, de fato, a pessoa citada no documento, mesmo que pareçam diferentes. Ter isso no bolso de trás deve ajudar a aliviar as preocupações dos viajantes.

Destinos Seguros Freqüentes

“Apenas os estados 20 têm leis anti-discriminação que protegem os indivíduos transgêneros”, diz Dee. “Mas isso não significa que as pessoas transgêneras só deveriam viajar para esses estados.” Dee vive na Carolina do Norte e destaca Wilmington como um destino extremamente seguro. "Tudo se resume ao senso comum", diz ela. A maioria dos estados, independentemente da legislação, tem boas empresas e atrações. Nova Orleans, Austin e, sim, Fort Lauderdale vêm à mente. Para mais ideias sobre destinos amigáveis ​​para LGBT, veja bem aqui.